Tags

, , , , , , ,

“Ultimately, Mark Regnerus set out to answer the question of whether children who have parents in a same-sex relationship experience disadvantages when compared with children raised by their biological, married parents. The answer, contra the zeitgeist, appears to be a resounding yes.

Children with a parent in a same-sex relationship “underperform” in almost every category. Some of these differences may be relatively benign — whether one voted in the last presidential election, for example — but most are decidedly not. One deficit is particularly worrying: Less than 2 percent of children from intact, biological families reported experiencing sexual abuse of some nature, but that figure for children of same-sex couples is 23 percent.

Similarly disturbing is that 14 percent of children from same-sex couples have spent some time in foster care, compared with around 2 percent of the American population at large. Arrest, drug experimentation, and unemployment rates were all higher among children from same-sex families.”

via Is Gay Parenting Bad for the Kids? – Charles C. W. Cooke – National Review Online.

Com o passar do tempo, a experiência humana vai constatando a verdade acerca do “casamento” gay e da adoção de crianças por casais  de gays e lésbicas. Vamos todos ganhando experiência, verificando dados e estatísticas; vamos lidando com a realidade, tal qual ela é, sem ideologias políticas e sem sofismas.

Por isso é que a esquerda radical — Bloco de Esquerda, Partido Comunista, e ala esquerda do Partido Socialista, incluindo alguns curandeiros da nossa praça como, por exemplo, o da figura aqui ao lado — e alguns submarinos infiltrados no Partido Social Democrata e no CDS/PP [por exemplo, Adolfo Mesquita Nunes] andaram cheios de pressa para legalizar o “casamento” gay, antes que os estudos científicos e a nossa experiência coletiva constatassem e demonstrassem o óbvio: a adopção de crianças por casais de gays e lésbicas tem um efeito devastador nas crianças adotadas.

Graças a Deus, a adoção de crianças por duplas de avantesmas não passou no nosso parlamento.

Mas a esquerda radical e os submarinos de direita — como, por exemplo, Adolfo Mesquita Nunes, certamente apadrinhado por Paulo Portas — ainda não retiraram a adoção gay da agenda política, até porque a legalização do “casamento” gay implica logicamente a adoção. Portanto, vamos iniciar agora um trilho penoso, e talvez longo e certamente com muita dor coletiva, de reposição da lógica natural das coisas — trilho esse que não estará isento de choros e de ranger de dentes.

Mark Regnerus é um sociólogo e professor da universidade de Austin, no Texas, Estados Unidos.
Um estudo recente conduzido por ele e pela sua equipa universitária, e que foi publicado na revista científica Social Science Journal, chegou a conclusões alarmantes acerca das crianças entregues a, ou adotadas por, casais de homossexuais. Essas conclusões baseiam-se na experiência acerca da adoção e da coabitação de crianças com duplas de gays, experiência essa que ainda não existia há uma dezena de anos atrás: não estamos a falar aqui de teoria ou de ideologia política: estamos, antes, a falar de estatísticas e de fatos. O leitor poderá ler um resumo do estudo na ligação em epígrafe.

O estudo cientifico chegou à conclusão, por exemplo, que as crianças com “dois pais” ou “duas mães” apresentam “sub-rendimentos” [“underperform”] em quase todas as categorias. Porém, o mais preocupante foi constatar que 23 porcento das crianças com “dois pais” ou “duas mães” tiveram experiências de abuso sexual de algum genero, enquanto que a percentagem de crianças abusadas sexualmente no seio de famílias biológicas e naturais é de menos de 2 porcento.

Também é de notar que o estudo mostra que 14 porcento das crianças com “dois pais” ou “duas mães” foram temporariamente entregues a instituições ou a terceiros, comparado com uma incidência de 2 porcento na população americana em geral. Para além, disso, o estudo verificou que as crianças e adolescentes com “dois pais” ou “duas mães” são mais susceptíveis de entrar em delinquência e consumo de drogas, e que o desemprego é muitíssimo maior entre jovens adultos que foram educados com “dois pais” ou “duas mães”.

 

Fonte: http://espectivas.wordpress.com/2012/06/12/casamento-gay-e-adopcao-de-criancas-nao-obrigado/

Anúncios