Tags

, , , , , , ,

O Positivismo e a “ventriloquia ideológica” de Carlos Fiolhais

Carlos Fiolhais, no blog Rerum Natura, utiliza habitualmente a estratégia da reprodução de ideias de outrem para expressar e corroborar as suas próprias ideias: trata-se de “ventriloquia ideológica”.

Carlos Fiolhais considera — por intermédio da sua ventriloquia ideológica — que tudo o que não é verificável não pertence à razão. Tudo o que não pode ser “provado” deve ser calado — “é especulação”, e por isso deve ser “remetido ao silêncio”; tudo o que não é verificável é tabu; não deve ser mencionado. Cale-se aquilo que não pode ser “provado”!.

 Escreve Carlos Fiolhais:

«O que chamamos “idade do universo” é simplesmente o momento antes do qual não temos nenhum fóssil. Vários investigadores propuseram descrições de tempos anteriores ao Big Bang. Mas não apresentaram nenhuma justificação, nenhuma prova. Não passa de pura especulação.»

 

A ventriloquia ideológica de Carlos Fiolhais diz o seguinte: “o critério da significação — ou seja, o critério da razão, ou o critério daquilo que pode ser considerado ‘racional’ — é a verificação”. Tudo o que não é verificável não tem significado [“é especulação!”], ou seja, não é racional.

Porém, esta proposição — “o critério da significação é a verificação” — não é, ela própria, verificável. Nem usando a sua ventriloquia ideológica positivista, Carlos Fiolhais pode verificar a veracidade desta proposição, porque os axiomas lógicos não são físicos.

Isto significa que o Positivismo “ventriloquente” de Carlos Fiolhais parte de um dogma que separa o seu fundamento, por um lado, da metafísica propriamente dita, por outro lado (e à qual está intrinsecamente ligada) e, neste sentido, o Positivismo fundou uma metafísica negativa.

Através da sua ventriloquia ideológica positivista, Carlos Fiolhais pretende negar a metafísica, o que não deixa de ser uma forma de metafísica; qualquer negação da metafísica é uma forma de metafísica. A ventriloquia ideológica positivista de Carlos Fiolhais é, ad Liminem, redundante: pretende negar-se a si própria.

 

http://espectivas.wordpress.com/2012/04/17/o-positivismo-e-a-ventriloquia-ideologica-de-carlos-fiolhais/

Anúncios